20 de Outubro é dia do Arquivista

Por Carlos Lima (*)



Seria o arquivista um guardador de papéis empoeirados? Seria também ele o funcionário que arquiva e disponibiliza documentos antigos? Perguntas como estas prevalecem no cotidiano das pessoas, quando se faz menção ao profissional que é formado em Arquivologia e que passa em média 4 anos nos bancos das universidades, com uma grade curricular composta por cerca de 60 disciplinas.

Com base nos fundamentos legais existentes, percebe-se que o arquivista tem papel estratégico no contexto das organizações, pois ele figura como o profissional que atua no desenvolvimento e implantação de políticas e ferramentas destinadas à recuperação e gerenciamento de informações úteis à tomada de decisão.

Amparado pela Lei 6.546, de 4 de julho de 1978, que dispõe sobre a sua regulamentação  profissional, o Arquivista tem como atribuições, entre outras:

* Planejamento, organização e direção de serviços ou centro de documentação e informação constituídos de acervos arquivísticos e mistos;

* Promoção de medidas necessárias à conservação de documentos;

* Planejamento, orientação e acompanhamento do processo documental e informativo;

* Elaboração de pareceres e trabalhos de complexidade sobre assuntos arquivísticos;

* Orientação do planejamento da automação aplicada aos arquivos;

* Assessoramento aos trabalhos de pesquisa científica ou técnico-administrativa;

 

 

No laboratório de restauro, informações sobre preservação e digitalização de documentos são transmitidas por Arquivista do Arquivo Público de Paracatu (APMOMG). Foto Acervo APMOMG/Set. 2010

 

O papel do bacharel em Arquivologia (área do conhecimento que estuda as funções do arquivo) então, passa não só pelos chamados arquivos históricos, mas também e principalmente, por uma série de estâncias, onde se produzem e/ou dispõem-se de informações em suportes variados, como CD-ROM, DVD, microfilmes, bancos de dados, discos ópticos e papel.

O paradigma de que a profissão de Arquivista estaria apenas voltada para receber e guardar documentos velhos e que seria, portanto, muito monótona, é suplantado na medida em que tal profissional atua em todo o percurso da informacão, desde a geração do documento, passando pela fase corrente (consultas freqüentes à documentação) até o seu destino final, ou seja, sua eliminação criteriosa ou arquivamento permanente, de acordo com prazos legais e normas específicas.

Dadas as transformações por que passam a sociedade e as organizações, o profissional arquivista está apto a orientar e a promover políticas que assegurem a qualidade, a segurança e a confiabilidade dos dados quando, por exemplo, expostos a procedimentos como virtualização ( geração de documentos em meio virtual, como em redes do tipo Internet e Intranet), a digitalização (convergência para meios digitais, como mídias diversas) e a microfilmagem (transposição para microfilmes).

No dia do Arquivista, que é comemorado em 20 de outubro, reforça-se o papel desse profissional, que por vezes é posto à margem no caminho das profissões, em função do desconhecimento da Lei e da literatura sobre o assunto, e destaca-se a sua relevância tanto para as empresas, quanto para os órgãos públicos, e por fim para toda a humanidade, no pleito de seus direitos e de sua memória.

Parabéns a todos os arquivistas!

(*) Carlos Lima é graduado em Arquivologia pela Universidade Federal da Bahia (UFBa), é consultor em organização de arquivos e memória empresarial e exerce o cargo de Coordenador do Arquivo Público Municipal de Paracatu.

Atenção! Caso queira publicar esta matéria, cite o autor.

 

 

Anúncios

2 Respostas

  1. Parabéns Carlos pelo dia do Arquivista!!
    Você tem feito um ótimo trabalho ai em Paracatu! O site está muito bem feito, informações uteis e interessantes.
    Sou graduada em História (licenciatura) pela Universidade do Vale do Sapucaí (UNIVÁS), e me interesso muito por pesquisas, e tenho vontade de trabalhar em arquivos, já fiz um curso de “Noções Introdutórias às praticas arquivísticas” pela Câmara Municipal de Pouso Alegre, gostaria de tirar algumas duvidas como você sobre o curso. Se puder me retorne em email. Obrigada!

  2. Parabéns Carlos, pois Paracatu ganhou muito com uma pessoa que corre atrás realmente para manter a História de Paracatu de Minas Gerais e do Brasil viva por meio dos documentos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: