Publicada dissertação que teve o Arquivo Público como campo de pesquisa

Por: Carlos Lima (*)

Extintor de incêndio: indispensável também em Arquivos. Foto: Carlos Lima/APMOMG

Pode até ser que a grande maioria desconheça  o papel de um Arquivo Público para a sua cidade, que em termos gerais é o de preservar, divulgar e dar acesso às informações existentes nos documentos em seus mais variados suportes (papel, CD-ROM, microfilme e discos óticos).

Em Paracatu, o Arquivo Municipal, além de ser visitado constantemente por estudantes, profissionais liberais e turistas, é também campo fértil para pesquisas de diversas ordens, como a do engenheiro e servidor público Marco Antônio das Graças Antunes, de 53 anos de idade e residente em Belo Horizonte, Minas Gerais.

O agora mestre em Geotecnia esteve em Paracatu em agosto do ano passado para levantar

Antunes registra os dados obtidos durante a pesquisa no Arquivo Público. À esquerda, o arquivista Carlos Lima auxilia-o na pesquisa. Foto: Cristiane Andrade/APMOMG/Ago. 2010

todos os dados necessários à elaboração de sua dissertação intitulada “A Gestão de Riscos como Alternativa de Prevenção de Incêndios em Arquivo Públicos – Estudo de Caso”, cuja defesa foi apresentada à Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) em 25 de janeiro deste ano.

No rico trabalho acadêmico produzido por Antunes, são abordados os fatores que influenciam nos riscos e na prevenção de incêndios em instituições arquivísticas, e para tal ele utilizou como objeto de pesquisa os arquivos públicos das cidades mineiras de Ouro Preto, Formiga, Barbacena, Carangola, Campo Belo, Bonfim, Uberlândia e Paracatu.

Cargas de incêndio específicas analisadas na dissertação de Antunes

Em depoimento anterior a este site, o engenheiro e mestre afirmou que “a vantagem do Arquivo Público de Paracatu, em termos de proteção, comparado a alguns arquivos, diz respeito aos cômodos possuírem laje e piso incombustível frio (cerâmico), o que reduz sobremaneira a carga de incêndio específica ou densidade da carga de incêndio.” Outro ponto forte da instituição, segundo ele, é o “grande afastamento frontal e lateral, onde há aberturas para o exterior, em relação aos vizinhos, o que minimiza e/ou dificulta bastante o risco de generalização de incêndio”. Entretanto, o estudioso não deixou de sugerir a instalação de equipamentos eficazes no combate ao fogo, como detector de incêndio e hidrante.

A dissertação de mestrado de Marco Antunes passa a fazer parte assim do

Na fachada Arquivo Publico de Paracatu: Marco Antunes (ao centro) e os servidores da instituição. Foto: APMOMG/Ago. 2010

conjunto de bibliografias consultadas principalmente por arquivistas, museólogos e bibliotecários na gestão dos acervos sob suas responsabilidades. A publicação do material aconteceu em abril e encontra-se disponível no site da UFOP.

(*) Carlos Lima é graduado em Arquivologia pela Universidade Federal da Bahia (UFBa), é consultor em organização de arquivos e memória empresarial e exerce o cargo de Coordenador do Arquivo Público Municipal de Paracatu.

Atenção! Caso queira publicar esta matéria, cite o autor.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: