Crianças entregam chupetas em Arquivo Municipal, no interior de Portugal

Em vez de dar a chupeta ao Pai Noel, ao coelhinho da Páscoa ou de jogar no lixo, no Arquivo Municipal ela será tratada como “um documento importante que fica para a história”[…]

Por: RTP com informações da Agencia Lusa de Notícias

Oliveira dos Aziméis (Portugal) – O serviço educativo do Arquivo Municipal de Oliveira de Azeméis, cidade portuguesa pertencente ao Distrito de Aveiro, situada na Grande Área Metropolitana do Porto, promove a partir deste mês a atividade “A minha chupeta fica a história”, que visa “arquivar” aquele bem precioso “como um documento importante”.

A ideia é que, na hora de cortar o uso da chupeta, as crianças, entre os 2 e os 5 anos, a deixem no Arquivo Municipal.

“Queremos que a criança venha ao arquivo de livre e espontânea vontade para aqui deixar a chupeta”, afirmou à Agência Lusa, Sara Matos, responsável pelo serviço educativo.

A criança deve largar a chupeta sozinha, mas como não se trata de uma tarefa fácil, esta atividade pretende ser um complemento, devendo os encarregados de educação fazer “algum trabalho de casa”.

Arquivo Municipal de Oliveira dos Aziméis em Portugal. Foto: Município de Oliveira dos Aziméis

Em vez de dar a chupeta ao Pai Noel, ao coelhinho da Páscoa ou de a jogar no lixo, no Arquivo Municipal ela será tratada como “um documento importante que fica para a história”, acrescentou a responsável.

Nesta atividade gratuita, que está, contudo, sujeita a marcação prévia, os profissionais preenchem uma ficha de recolhimento de dados das crianças e conversam com elas, “com muitas palavras bonitas”, para que o objeto precioso seja depois “etiquetado e fique definitivamente arquivado” no local.

No Arquivo, crianças também fazem visitas guiadas e conhecem a história. Foto: Arquivo Municipal de Oliveira dos Azeméis

Em contrapartida, adiantou Sara Matos, as crianças e os familiares são convidados a visitar o espaço, para que vejam como tudo funciona no arquivo, onde é possível encontrar documentação produzida e recebida pela autarquia no exercício da sua atividade, desde o início do século 19 até hoje.

A responsável salientou que está previsto que as crianças recebam um diploma pelo depósito feito, bem como um brinde, mas só a partir de janeiro.

A atividade decorre de segunda a sexta-feira, das 09:00 às 16:30 e o Arquivo Municipal estima que cerca de 50 crianças por ano tenham a coragem de ali deixar “a chupeta para a história”.

JAP

Agencia Lusa/Fim

Texto com pequenas adaptações para o Português Brasil

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: