Acervo policial é transferido para o Arquivo Público Municipal de Bagé, no Rio Grande do Sul

[…]o material estava armazenado em condições inadequadas e vinha sofrendo a ação do tempo e de insetos e ratazanas[…] disse o delegado responsável pelos documentos

Por: MinuanoOnline (*)

Casa de Cultura Pedro Wayne em Bagé, no Rio Grande do Sul. Foto: Prefeitura de Bagé

Bagé (RS) – 11/10/2011 – O delegado regional de polícia, Sezefredo Lopes, conta que esses documentos são chamados “Fichas Fogo” e se referem a registros e portes de armas de fogo que remontam aos anos 40, em seu início, e vêm até os anos 90, quando começou a informatização dos arquivos policiais. Esses papéis, em sua maioria, estão acompanhados dos respectivos prontuários, que são os conjuntos de documentos exigidos pelo órgão de segurança. São as informações a respeito da origem dessas armas, atestados do requerente, muitos deles ainda com as fotos originais. Obviamente muitos desses portes e

Lemieszek e Lopes: Diretor do Arquivo (à esquerda) elogia iniciativa do delegado. Foto: MinuanoOnline

registros são de pessoas já falecidas. O delegado Lopes conta que o material estava armazenado em condições inadequadas e vinha sofrendo a ação do tempo e de insetos e ratazanas. “Sendo assim, nada mais justo que destinar essa documentação ao Arquivo Público”, avaliou. Ele acrescenta que toda a documentação já está inserida no sistema informatizado interno da Polícia Civil do Rio Grande do Sul, o que não prejudica nem dificulta a localização de algum dado informativo a respeito desses documentos.

O Arquivo Público
**************

Para o diretor do Arquivo Público Municipal de Bagé, cidade a 393 Km da capital Porto Alegre, Cláudio de Leão Lemieszek, a iniciativa do delegado Lopes mais que importante foi oportuníssima. “Faz com que a comunidade perceba a importância da guarda de documentos, sejam eles públicos ou particulares, que possam ter interesse histórico ou legal. Foi um grande exemplo para Bagé”, elogiou Lemieszek. O diretor explicou que sua gestão à frente do Arquivo tem como meta o enriquecimento do acervo e a consolidação das devidas funções da entidade. “Um arquivo tem a capacidade de fornecer certidões com fé pública, que podem ser úteis para diversos fins. Tanto para a obtenção de uma aposentadoria como servir de base para pesquisas de historiadores ou mesmo teses acadêmicas”. Lemieszek enfatiza que o apoio e o empenho do prefeito Dudu Colombo e do secretário municipal de Cultura, Sapiran Brito, têm sido fundamentais para a retomada das atividades do arquivo. “Já foram destinadas as verbas para a construção de 186 metros de prateleiras para ampliar a capacidade de acondicionamento do acervo. Contamos também com conexão sem fio com a internet para facilitar as pesquisas”, relata. O diretor acrescenta que o Arquivo Público de Bagé terá novidades. A doação dos originais manuscritos da obra “A História de Bagé”, de Eurico Salis, será realizada pelos descendentes do autor. A digitalização dos arquivos do extinto Correio do Sul também já está com verbas garantidas para sua realização.

Serviço: 

ENDEREÇO: Carlos Mangabeira, nº 20

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: das 8hs até 14 hs

TELEFONE GERAL: (53) 3242.6574

SERVIÇOS: Arquivamento de Documentos Públicos de diferentes órgãos, Acervos de Jornais(Minuano desde 1914 até 2008), discos e revistas.

EMAIL: arquivo.publico@bage.rs.gov.br

(*) Públicado originalmente no dia 07/10/2011 por jornalminuano.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: