Brejo da Madre de Deus, no interior pernambucano, ganhará Arquivo Público Municipal

Por: Blog Estação Notícias (*)

Casa de Câmara e Cadeia de Brejo da Madre de Deus abrigará Arquivo Público Municipal. Foto: Pedro Valadares/Fev. 2008

Brejo da Madre de Deus (PE) – 09/11/2011 – Brejo da Madre de Deus, localizada no agreste pernambucano e a 190 Km da capital Recife, é uma das cidades mais importantes do Estado e com uma história riquíssima, e boa parte desta estava perdida em salas ou armários escuros. Mas agora numa parceria entre a Fundarpe (Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco), IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), Arquivo Estadual de Pernambuco e Prefeitura Municipal de Brejo da Madre de Deus vão levantar toda esta poeira e resgatar a história da cidade.

Técnicos do arquivo Pernambucano vieram conhecer o Arquivo da Prefeitura do Brejo. A idéia é tão logo que o Prédio de Câmara e Cadeia esteja restaurado, instalar o Arquivo Publico Municipal com todos os documentos históricos da cidade disponibilizados para pesquisa e conhecimento da população, além de fotos, vídeos históricos, objetos e publicações sobre o Município.
Casa de Câmara e Cadeia
Por: Pedro Valadares
Nos primórdios da colonização portuguesa, para a fundar vilas, uma das primeiras preocupações era a implantação da igreja, do pelourinho e da Casa de Câmara e Cadeia.

A igreja para a prática da fé, o pelourinho para punir os transgressores (principalmente os escravos), e a Casa de Câmara e Cadeia tinha a finalidade de satisfazer as necessidades de serviços administrativos, legislativos, judiciais e penitenciários. Na maioria dos casos, o respectivo programa funcional distribuía-se em dois pavimentos, e compunha-se de duas partes distintas: Câmara, no pavimento superior; e Cadeia, no térreo, como o próprio nome já diz, destinada à prisão.

Nos primeiros séculos, o poder público não tinha gastos com a manutenção dos presos. Desta forma, as janelas no pavimento térreo, que serviam às enxovias, eram essenciais aos presos, pois através delas recebiam alimentos de seus parentes, ou de estranhos como esmola.

Casa de Câmara e Cadeia de Paracatu

Por: Carlos Lima(**)

Casa de Câmara e Cadeia de Paracatu, Minas Gerais, em 1910. Foto: Olímpio Michael Gonzaga/Acervo Arquivo Público Municipal

Paracatu, cidade localizada no Noroeste de Minas e a cerca de 500 Km de Belo Horizonte, também já possuíra até o século passado a sua Casa de Câmara de Cadeia na antiga Rua Direita (hoje Rua Dr. Seabra) ao do extinto Mercado Municipal (hoje Museu Histórico Pedro Salazar Moscozo), na região do chamado Núcleo Histórico.

Por não haver na época nenhuma lei de proteção áquele tipo de edificação ou sequer algum tipo de sentimento que visasse à preservação do casario (muitos casarões foram demolidos ao longo do século XX), o imponente sobrado construído em 1870 e considerado por alguns como um marco da administração local e da justiça, deu lugar, em 1935 a novas e ofuscadas construções sem história para contar.
(*) Públicado originalmente em 07/11/2011
(**) Carlos Lima é graduado em Arquivologia pela Universidade Federal da Bahia (UFBa), é Pós-Graduado em Oracle, Java e Gerência de Projetos, é consultor em organização de arquivos e memória empresarial e exerce o cargo de Coordenador do Arquivo Público Municipal de Paracatu.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: