Arquivos de Tag: Escola

Manuscritos com até 290 anos de existência marcam a terceira reportagem da série Traços de Paracatu, na TV Minas Brasil

Por: TV Minas Brasil (*)

Paracatu-MG (05/09/2016) – A terceira reportagem da série especial Traços de Paracatu traz os detalhes sobre o chamado Acervo Municipal do Arquivo Público de Paracatu, que é composto, dentre outros, por documentos raríssimos como os manuscritos do Tribunal Eclesiástico (Século XVIII), da Câmara Municipal (Séculos XIX e XX),  Irmandades Religiosas (Séculos XVIII ao XX, ), Tiro de Guerra (Século XX) e Prefeitura Municipal (Século XX).

Na gravação da matéria, produzida com muito esmero pelos repórteres João Paulo Marques e Daniel Santana, da TV Minas Brasil, afiliada Rede Minas, são mencionados acontecimentos e curiosidades como a existência do Tiro Guerra nº 90 em Paracatu (1946-1956), o registro das ruas e largos pioneiros do município (1811) e o cotidiano das atividades escolares no Povoado de Brejinho, Distrito de Unahy (1937).

(*) Fonte: TV Minas Brasil (Canal 20 VHF) –   http://www.mbnews.tv.br/

Anúncios

Concuso de maquetes destacou interesse dos estudantes pelo Núcleo Histórico de Paracatu

Maquetes de atrativos históricos e turísticos encheram os olhos dos espectadores que passaram em frente ao prédio da Prefeitura Municipal[…]

Por: Secretaria Municipal de Cultura de Paracatu

Criatividade, Arquitetura e História: Maquete do Sobradinho do Santana, produzida pelos alunos da Escola Júlia Carmargos 1º lugar no Concurso. Foto: Geraldinho/PMP

Sensibilizar e envolver a comunidade escolar e moradores do Município em torno da preservação do Patrimônio Cultural, essa é a principal meta do programa de Educação Patrimonial, realizado permanentemente pelo Governo Municipal.

Em 2011 a proposta inovadora da realização do I Concurso de Maquete, mobilizou alunos e professores de 10 escolas públicas em torno do tema “O Núcleo Histórico de Paracatu: Arquitetura, Memória e Identidade”.

Em discurso na abertura oficial do evento, o Prefeito Vasquinho falou sobre a participação dos alunos nesse concurso, e enfatizou que todas as escolas tiveram sua importância neste processo de conhecimento e pesquisa e que a integração desses alunos  foi fator de grande relevância, pois une  forças para o fomento da importância do resgate e da preservação de nossa memória.”

Educação patrimonial 2011: Maquete da Igreja Nossa Senhora do Santana. Foto: Geraldinho/PMP

Maquetes de atrativos históricos e turísticos encheram os olhos dos espectadores que passaram em frente ao prédio da Prefeitura Municipal, nesta quinta-feira (18) durante a manhã. Casarios, Igrejas e becos retratados com muita criatividade e, sobretudo, o trabalho de pesquisa e dedicação dos alunos que participaram do projeto.

Em declarações, alunos envolvidos no projeto demonstraram conhecimento e paixão pelo patrimônio cultural Paracatuense.

A comissão de jurados composta por profissionais da área de engenharia, artistas e agentes culturais, teve dificuldade em definir as 05 escolas a serem premiadas, devido a tamanha beleza de todas as maquetes participantes. A premiação ficou definida assim:

Confira a Classificação e Premiação

1º- Escola Estadual Júlia Camargos – Sobradinho do Santana – R$ 1.500,00

2º – Escola Estadual Afonso Arinos – Escola Afonso Arinos – R$ 1.200,00

3° – Escola Estadual Delano Brochado Adjuto – Igreja da Matriz de Santo Antônio – R$ 1.000,00

4º – Escola Estadual Josino Neiva -Largo do Santana – R$ 800,00

5º – Escola Estadual Virgilio de Melo Franco – Igreja do Rosário – R$ 800,00

 

A beleza dos becos e ruas de pedra: Beco do Sinhô Candinho e ao fundo a Igreja de Nossa Senhora do Rosário. Foto: Geraldinho/PMP

Fonte: Prefeitura Municipal de Paracatu/Secretaria Municipal de Cultura

A escola vai ao Arquivo

Por: Carlos Lima (*)

Alunos da Escola Cacilda Caetano observam demonstração de restauro de documento. Foto: Cristiane Andrade/APMOMG/Abr. 2011

O fascínio da criançada e dos adolescentes pelos objetos que procuram remetê-los a um passado distante, curioso e que denuncia as transformações provocadas, principalmente, pelas ações humanas, é algo que vem se tornando constante em Paracatu.

Prova disso é que, nos meses de abril e maio o Arquivo Público Municipal,

Alunos do Dom Elizeu tiram dúvidas com o Auxiliar Valtiére. Foto: Cristiane Andrade/APMOMG

órgão responsável pela custódia, preservação e divulgação da memória documental de Paracatu, recebeu quase 150 alunos do 3º, 6º e 7º anos, procedentes de duas instituições de ensino locais, a Escola Municipal Cacilda Caetano e o Colégio Dom Elizeu.

As visitas guiadas realizadas com os alunos e seus professores percorreram os acervos da instituição, permitiram a visualização dos tipos documentais conservados no local, como processos do Fórum, fotografias da cidade, livros e manuscritos, além de possibilitarem uma noção sobre os procedimentos de higienização e restauro de documentos históricos.

Alunos da Escola Cacilda Caetano atentos ao manuscrito e às explicações do arquivista Carlos. Foto: Cristiane Andrade/APMOMG/Abr. 2011

Em meio a tantos documentos, caixas-arquivo e outras peças que retratam um tempo longínquo, a história de Paracatu era transmitida aos alunos através dos servidores do Arquivo Público Municipal, que de tanto lidarem com os registros da época, muito conhecem sobre aquelas informações.

Turmas do Colégio Dom Elizeu no pátio do Arquivo Público Municipal. Foto: Cristiane Andrade/APMOMG

Além do trabalho de educação patrimonial desenvolvido pelo Arquivo Público com os estudantes, uma contribuição para com o meio ambiente tem sido estimulada durante as visitações por meio de mini-palestras sobre educação ambiental e sorteio de brindes ecologicamente corretos.

Aluno sorteado faz pose com sua bolsa ecologicamente correta. Foto: Maria José/APMOMG/Abr. 2011

O Arquivo Público Municipal fica próximo à Delegacia de Polícia Civil e é aberto a toda a comunidade, mas as visitas em grupo devem ser agendadas previamente pelo telefone (38) 3671-5236 ou através do site paracatumemoria.wordpress.com

(*) Carlos Lima é graduado em Arquivologia pela Universidade Federal da Bahia (UFBa), é consultor em organização de arquivos e memória empresarial e exerce o cargo de Coordenador do Arquivo Público Municipal de Paracatu.

Atenção! Caso queira publicar esta matéria, cite o autor.